O Bullying

O Bullying

Mensagempor XôZé » Quinta-Feira 4 Março 2010, 22:36

Uma notícia que mexeu comigo. :cry:

publico.pt Escreveu: Criança que se lançou ao rio Tua era há algum tempo agredida verbal e fisicamente

:arrow: http://www.publico.pt/Local/crianca-que ... te_1425434



Eu, com o meu filho há uns anos atrás já senti na pele este fenómeno. :evil:
Imagem
Avatar do Utilizador
XôZé
Mouro
Mouro
 
Mensagens: 5218
Registado: Sexta-Feira 12 Outubro 2007, 02:12

Re: O Bullying

Mensagempor Tovi » Sexta-Feira 5 Março 2010, 23:09

Impressionante este artigo de Helena Teixeira da Silva no Jornal de Notícias. Eu até não sou muito lamechas, mas há coisas que nos deixam de rasto.

Morreu para evitar agressão de colegas

Leandro, 12 anos, é a primeira vítima mortal conhecida de bullying em Portugal. Atirou-se ao rio Tua. Colegas garantem que não é caso único de violência na escola

Ontem, quarta-feira, Christian não foi à escola. No dia anterior, almoçou à pressa na cantina, saiu aflito para o recreio quando viu, mais uma vez, o corpo franzino de Leandro, primo e amigo de 12 anos, ser espancado por dois colegas mais velhos.
Depois, perseguiu o rapaz que, cansado da tortura de quase todos os dias, ameaçou lançar-se da ponte, ali a dois passos. Perseguiu-o, impediu-o. Por fim, imitou-lhe os passos, degrau a degrau, até à margem do rio Tua. O primeiro estava decidido a morrer: despiu-se, atirou-se. O segundo estava decidido a salvá-lo: despiu-se, atirou-se.
Leandro morreu - é a primeira vítima mortal de bullying em Portugal; Christian agarrou-se a uma pedra para sobreviver. Antes, arriscou a vida a dobrar: digestão em curso em água gelada. Eram 13.40 horas. Ontem não foi à escola. Os pesadelos atrasaram-lhe o sono. Acordou cansado, alheado, emudecido. Leandro não é caso único. Ele também já foi agredido.
Christian não é o super-homem; não é sequer rapaz encorpado; é um menino assustado, tem 11 anos, não terá 40 quilos, o rosto salpicado de sardas e tristeza. Os olhos dos pais pregados nele, os dele cravados no chão da sala. Não estava sozinho na luta. "Estava eu, o Márcio (irmão gémeo de Leandro), o Ricardo...", este e aquele, os nomes dos amigos como um ditado, ele encolhido, no colo um cão minúsculo a quem insistentemente afaga o pêlo. "Não conseguimos salvá-lo, já estávamos tão cansados". O lamento sabe a resignação e à inquietação de quem veio de outra escola, em Andorra, Espanha, onde "à mais pequena coisa, os professores chamavam os pais", recordam, "preocupados", Júlio e Júlia Panda, pais de Christian, filhos da terra, Mirandela, no cume de Trás-os-Montes, retornados há pouco mais de um ano, trazidos com a crise e o desemprego. Vivem agora na aldeia de Cedainhos, a 15 quilómetros da cidade, lugar estacionado no tempo, onde vivia também Leandro e onde todas as casas, com laços mais ou menos próximos, são casas da mesma família.

Escola sem luto nem explicação
Um palmo acima, na mesma rua, vive a avó, Zélia Morais. Tem a cozinha cheia netos, mais de dez, netos de todas as idades, os gritos inocentes dos mais novos a misturarem-se na dor dos outros. Sabe tudo ao mesmo fado. É a imagem da desolação, ela prostrada no sofá, o coração com febre. "O meu menino era tão humilde. Todos os dias vinha saber de mim. Todos os dias", palavras repetidas embrulhadas em falta de ar. "E agora?" Agora, responde o filho Augusto, homem de meia idade que a coluna prendeu a uma cadeira de rodas, "agora, nem que tenha de vender tudo, vou até ao fim do mundo para saber quem levou o meu sobrinho a matar-se". A ameaça parece dura, dura um segundo, desfaz-se em pranto. "O meu menino sentava-se aqui comigo, conversava como adulto, era a minha companhia". Os pais de Leandro também vivem ali; não estão. "Estão em casa amiga, passaram a noite no hospital".
Ontem Christian não foi à escola. Mas na escola dele - E.B. 2,3 Luciano Cordeiro, onde partilhava o 6º ano com Leandro -, o dia foi normal. Nem portas fechadas nem luto nem explicação. O porteiro do turno da tarde entrou às 15 horas, bem disposto. "Sou jornalista, queria uma entrevista", ironizou. Tiro no pé. O JN estava lá. Perdeu o humor, convidou-nos a sair "já". A docente que saía do recinto também foi avisada, inverteu a marcha, já não saiu. Havia motivos para baterem tantas vezes no Leandro? Responde Christian: "Todos batem em todos".
http://tovi.blogs.sapo.pt
"Devido à velocidade da luz ser superior à do som, algumas pessoas parecem inteligentes até as ouvirmos."
Avatar do Utilizador
Tovi
Resmungão
Resmungão
 
Mensagens: 2577
Registado: Terça-Feira 9 Outubro 2007, 21:28
Localização: Porto - Portugal

Re: O Bullying

Mensagempor XôZé » Sexta-Feira 5 Março 2010, 23:15

A degradação daquilo que é basilar na formação do indíviduo enquanto jovem - a escola.

A geração rasca do cavaquismo dá agora lugar à geração socretina.

Resta-nos a grata consolação de que serão estes os homens que amanhã governarão esta espécie de nação.
Imagem
Avatar do Utilizador
XôZé
Mouro
Mouro
 
Mensagens: 5218
Registado: Sexta-Feira 12 Outubro 2007, 02:12

Re: O Bullying

Mensagempor zézen » Sexta-Feira 5 Março 2010, 23:19

XôZé Escreveu:A geração rasca do cavaquismo dá agora lugar à geração socretina.


Achas que Cavàco e Sòcrates têm alguma coisa a ver com estes pequenos monstros ? Não serà mais um problema de educandos e educadores ?
a.o.s., foi, é, e serà sempre, um F.D.P.
Avatar do Utilizador
zézen
tem opinião sobre tudo, e sobretudo opinião
tem opinião sobre tudo, e sobretudo opinião
 
Mensagens: 5151
Registado: Sexta-Feira 12 Outubro 2007, 17:10
Localização: Cidade cinzenta

Re: O Bullying

Mensagempor XôZé » Sexta-Feira 5 Março 2010, 23:20

zézen Escreveu:
XôZé Escreveu:A geração rasca do cavaquismo dá agora lugar à geração socretina.


Achas que Cavàco e Sòcrates têm alguma coisa a ver com estes pequenos monstros ? Não serà mais um problema de educandos e educadores ?


Têm, têm mas a familia também não deve ser dispensada de responsabilidades.
Imagem
Avatar do Utilizador
XôZé
Mouro
Mouro
 
Mensagens: 5218
Registado: Sexta-Feira 12 Outubro 2007, 02:12

Re: O Bullying

Mensagempor Matildinha » Sexta-Feira 5 Março 2010, 23:48

XôZé Escreveu:
zézen Escreveu:
XôZé Escreveu:A geração rasca do cavaquismo dá agora lugar à geração socretina.


Achas que Cavàco e Sòcrates têm alguma coisa a ver com estes pequenos monstros ? Não serà mais um problema de educandos e educadores ?


Têm, têm mas a familia também não deve ser dispensada de responsabilidades.


Principalmente a família. O mal vem, principalmente, da família. Hoje em dia os pais desligam-se dos seus deveres. Deixam a educação dos filhos às escolas, como se essa obrigação fosse delas. Esquecem-se que a educação começa em casa. As escolas têm, essencialmente, de formar e completar a educação dada pelos pais. Não há milagres. Por muito que nas escolas se tente educar não adianta se os pais não fizerem nada nesse sentido. Hoje em dia os pais deseducam mais do que educam. Claro que não são todos, mas grande parte, sim.
Matildinha
Segundo-Cabo
Segundo-Cabo
 
Mensagens: 252
Registado: Quinta-Feira 11 Outubro 2007, 22:29

Re: O Bullying

Mensagempor zézen » Sexta-Feira 5 Março 2010, 23:52

Matildinha Escreveu:...Hoje em dia os pais deseducam mais do que educam. Claro que não são todos, mas grande parte, sim.[/color]


Permite-me concordar a cem por cento e sublinhar. ;)
a.o.s., foi, é, e serà sempre, um F.D.P.
Avatar do Utilizador
zézen
tem opinião sobre tudo, e sobretudo opinião
tem opinião sobre tudo, e sobretudo opinião
 
Mensagens: 5151
Registado: Sexta-Feira 12 Outubro 2007, 17:10
Localização: Cidade cinzenta

Re: O Bullying

Mensagempor XôZé » Sexta-Feira 5 Março 2010, 23:54

Também tenho essa sensação de que os infantários como as escolas, são autênticos depósitos de crianças.

Os pais transferem-lhes a responsabilidade de muito mais do que ensinar, da sua própria formação enquanto pessoas.

A vida está complicada, os problemas inerentes ao emprego que lhes condicionam a disponibilidade, cava em muito esse distanciamento.
Imagem
Avatar do Utilizador
XôZé
Mouro
Mouro
 
Mensagens: 5218
Registado: Sexta-Feira 12 Outubro 2007, 02:12

Re: O Bullying

Mensagempor Scalabis » Sábado 6 Março 2010, 12:55

Se um filho meu tivesse este fim tragico, nem que fosse a ultima coisa que eu fizesse em vida, mas não ficaria cá nenhum para contar o que tinha feito. É um pensamento primário? pois deve ser, mas há meios que justificam os fins.

Quando a minha mais pequena entrou para o ciclo, ainda houve alguns problemas com ela e com umas miudas de um lar da santa casa, ou ficava sem lanche, ou sem material escolar ou lhe davam uns caldos, enfim era um vê se te avias, cá o JE foi á escola esperou as meninas á porta, apenas com dois dedos, o polegar e o indicador, agarrou a pobre orelha que não tinha culpa , um abanão para ver se estava bem agarradinha e foi até hoje, nunca mais houve problemas.
Imagem

Imagem Imagem
Avatar do Utilizador
Scalabis
Alexandre, o grande
Alexandre, o grande
 
Mensagens: 1385
Registado: Quinta-Feira 11 Outubro 2007, 22:17
Localização: Santarém Ribatejo Portugal

Re: O Bullying

Mensagempor XôZé » Sábado 6 Março 2010, 20:11

No meu caso, uma tarde fui chamado à escola porque o meu filho se tinha trancado numa sala.

Frequentava na altura o 5º ano e foi acusado injustamente de ter furtado uma calculadora, se a memória não me falha.

Juntou-se um rebanho de uma dúzia de basófes para lhe fazerem a folha.

A coisa felizmente resolveu-se mas mesmo sabendo quem teria cometido o acto, o puto nunca se chibou.

Nem sobre quem teria organizado a excursão para lhe bater.

Daqui se calcula a pressão do silêncio a que estão vinculados os putos. :evil:
Imagem
Avatar do Utilizador
XôZé
Mouro
Mouro
 
Mensagens: 5218
Registado: Sexta-Feira 12 Outubro 2007, 02:12

Próximo

Voltar para Sociedade

Quem está ligado:

Utilizador a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante

cron