A CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA

Re: A CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA

Mensagempor zézen » Quarta-Feira 31 Dezembro 2008, 00:38


Mais uma Golpada - ERSE

Era uma vez um senhor chamado Jorge Viegas Vasconcelos, que era presidente de uma coisa chamada ERSE, ou seja, Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, organismo que praticamente ninguém conhece e, dos que conhecem, poucos devem saber para o que serve. Mas o que sabemos é que o senhor Vasconcelos pediu a demissão do seu cargo porque, segundo consta, queria que os aumentos da electricidade ainda fossem maiores. Ora, quando alguém se demite do seu emprego, fá-lo por sua conta e risco, não lhe sendo devidos, pela entidade empregador, quaisquer reparos, subsídios ou outros quaisquer benefícios. Porém, com o senhor Vasconcelos não foi assim. Na verdade, ele vai para casa com 12 mil euros por mês - ou seja, 2.400 contos - durante o máximo de dois anos, até encontrar um novo emprego. Aqui, quem me ouve ou lê pergunta, ligeiramente confuso ou perplexo: «Mas você não disse que o senhor Vasconcelos se despediu?». E eu respondo: «Pois disse. Ele demitiu-se, isto é, despediu-se por vontade própria!». E você volta a questionar-me: «Então, porque fica o homem a receber os tais 2.400contos por mês, durante dois anos? Qual é, neste país, o trabalhador que se despede e fica a receber seja o que for?». Se fizermos esta pergunta ao ministério da Economia, ele responderá, como já respondeu, que «o regime aplicado aos membros do conselho de administração da ERSE foi aprovado pela própria ERSE». E que, «de acordo com artigo 28 dos Estatutos da ERSE, os membros do conselho de administração estão sujeitos ao estatuto do gestor público em tudo o que não resultar desses estatutos». Ou seja: sempre que os estatutos da ERSE foram mais vantajosos para os seus gestores, o estatuto de gestor público não se aplica. Dizendo ainda melhor: o senhor Vasconcelos (que era presidente da ERSE desde a sua fundação) e os seus amigos do conselho de administração, apesar de terem o estatuto de gestores públicos, criaram um esquema ainda mais vantajoso para si próprios, como seja, por exemplo, ficarem com um ordenado milionário quando resolverem demitir-se dos seus cargos. Com a bênção avalizadora, é claro, dos nossos excelsos governantes. Trata-se, obviamente, de um escândalo, de uma imoralidade sem limites, de uma afronta a milhões de portugueses que sobrevivem com ordenados baixíssimos e subsídios de desemprego miseráveis. Trata-se, em suma, de um desenfreado, abusivo e desavergonhado abocanhar do erário público. Mas voltemos à nossa história. O senhor Vasconcelos recebia 18 mil euros mensais, mais subsídio de férias, subsídio de Natal e ajudas de custo. 18 mil euros seriam mais de 3.600 contos, ou seja, mais de 120 contos por dia, sem incluir os subsídios de férias e Natal e ajudas de custo. Aqui, uma pergunta se impõe: Afinal, o que é - e para que serve - a ERSE? A missão da ERSE consiste em fazer cumprir as disposições legislativas para o sector energético. E pergunta você, que não é burro: «Mas para fazer cumprir a lei não bastam os governos, os tribunais, a polícia, etc.?». Parece que não. A coisa funciona assim: após receber uma reclamação, a ERSE intervém através da mediação e da tentativa de conciliação das partes envolvidas. Antes, o consumidor tem de reclamar junto do prestador de serviço. Ou seja, a ERSE não serve para nada. Ou serve apenas para gastar somas astronómicas com os seus administradores. Aliás, antes da questão dos aumentos da electricidade, quem é que sabia que existia uma coisa chamada ERSE? Até quando o povo português, cumprindo o seu papel de pachorrento bovino, aguentará tão pesada canga? E tão descarado gozo? Politicas à parte estou em crer que perante esta e outras, só falta mesmo manifestarmos a nossa total indignação.

Já agora façam lá o favorzinho de reenviar para a V/ lista de amigos, pelo menos sempre se fica a saber de coisas importantes que retiram toda a credibilidade a esta cambada de MALANDROS.


por mão amiga
a.o.s., foi, é, e serà sempre, um F.D.P.
Avatar do Utilizador
zézen
tem opinião sobre tudo, e sobretudo opinião
tem opinião sobre tudo, e sobretudo opinião
 
Mensagens: 5151
Registado: Sexta-Feira 12 Outubro 2007, 17:10
Localização: Cidade cinzenta

Re: A CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA

Mensagempor XôZé » Quarta-Feira 31 Dezembro 2008, 01:00

Estou tão habituado a esses recortes que já nem ligo.

Só tomarei atenção quando se verificar o inverso.

Quando esses fdp's desembolsarem no sentido contrário que como se sabe, nunca!
Imagem
Avatar do Utilizador
XôZé
Mouro
Mouro
 
Mensagens: 5218
Registado: Sexta-Feira 12 Outubro 2007, 02:12

Re: A CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA

Mensagempor Arp » Quarta-Feira 31 Dezembro 2008, 10:41

Ora aqui está uma gente perfeitamente integrada na sociedade e cumpridora das leis, que não anda aí pelas ruas a roubar telemóveis nem a discutir com cobradores de autocarro.
Nada a ver, portanto, com ciganos e pretos.
:grin:
O saber, o aprender o novo, só não encontra espaço em cabeças que já estão cheias, principalmente de ideias preconcebidas.
Arp
Avatar do Utilizador
Arp
Sargento-mor
Sargento-mor
 
Mensagens: 3414
Registado: Sábado 13 Outubro 2007, 14:02

Re: A CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA

Mensagempor zézen » Quarta-Feira 28 Janeiro 2009, 09:52

No julgamento, Fátima Felgueiras é pronunciada por oito crimes, um de abuso de poderes e sete de participação económica em negócio.

Entre os outros arguidos, o ex-presidente do Município, Júlio Faria (PS), é acusado de cinco crimes de participação económica em negócio e três outros ex-vereadores, Aurélio Carvalho (PSD), José Maria Sampaio e Vítor Manuel Costa, são pronunciados, respectivamente, por cinco, um e dois crimes de participação económica em negócio.

A pronúncia por participação económica em negócio abrange, ainda, cinco ex-dirigentes do Futebol Clube de Felgueiras: Joaquim Fonseca Peixoto, comerciante, (um crime), José Teixeira de Queirós, comerciante (um crime), Sidónio Maia Ribeiro, industrial (dois crimes), Manuel Ferreira de Faria, economista (quatro crimes) e Fernando Rodrigues de Lima (dois crimes).

O Tribunal de Instrução de Felgueiras considerou, no despacho que pronunciou Fátima Felgueiras e os outros nove arguidos, que houve violação da Lei de Bases do Sistema Desportivo nos subsídios da Câmara ao clube de futebol local.

Aquela Lei, lembra o Tribunal, «impôs, de forma expressa, limitações à atribuição de comparticipações financeiras concedidas pelas autarquias locais aos clubes desportivos».

O Tribunal lembra que «compete à entidade concedente fiscalizar a execução do contrato-programa», o que «nunca foi feito pelos responsáveis camarários».

«A coberto da atribuição de subsídios para as camadas jovens e de verbas para realização de obras no Estádio dr. Machado Matos, os arguidos aprovaram e celebraram, em nome da Câmara Municipal, vários contratos-programa de comparticipação financeira e doações de terrenos a favor do FCF», afirma a pronúncia.

Os arguidos terão, assim, tido o propósito de «injectar elevadas quantias monetárias no clube, de forma a custear as suas elevadas despesas correntes, designadamente, com vencimentos de jogadores e técnicos da equipa, prémios de jogo, despesas de estadia e de deslocações da equipa inscrições na Liga, e com médicos e assistência clínica e hospitalar».

O Tribunal considera que os contratos-programa foram, apenas «expedientes» a que se recorreu para financiar aquelas despesas.

Afirma que os arguidos Fátima Felgueiras e Júlio Faria «controlavam absolutamente os órgãos decisórios do Município, a Câmara e a Assembleia Municipal, bem como o próprio FCF», de forma que «quaisquer propostas que apresentassem fossem aprovadas desde que surgissem com aparência de legalidade».

A aprovação das verbas - assinala o magistrado - era previamente combinada e acordada entre Fátima Felgueiras e Júlio Faria e os restantes vereadores, com os membros das direcções do FCF.

O inquérito judicial, que agora chega à barra do Tribunal, envolveu a alegada prática de crimes, decorrentes de verbas dadas pela Câmara ao Futebol Clube de Felgueiras (FCF) entre 1995 e 2001 e que totalizam cerca de 3,6 milhões de euros.

A prática dos crimes terá começado quando Júlio Faria era presidente da Câmara e Fátima Felgueiras era vereadora, e terá continuado quando a actual autarca tomou posse como Presidente.

http://clix.visao.pt/Actualidade/Portugal/Pages/felgueiras_tribunal.aspx
a.o.s., foi, é, e serà sempre, um F.D.P.
Avatar do Utilizador
zézen
tem opinião sobre tudo, e sobretudo opinião
tem opinião sobre tudo, e sobretudo opinião
 
Mensagens: 5151
Registado: Sexta-Feira 12 Outubro 2007, 17:10
Localização: Cidade cinzenta

Re: A CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA

Mensagempor XôZé » Quarta-Feira 28 Janeiro 2009, 20:30

Vai uma aposta com o meu amigo do peito que a senhora sai outra vez do tribunal condenada e depois aos jornalistas vai dizer que "se fez justiça" porque saíu "inocentada"?... :roll:
Imagem
Avatar do Utilizador
XôZé
Mouro
Mouro
 
Mensagens: 5218
Registado: Sexta-Feira 12 Outubro 2007, 02:12

Re: A CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA

Mensagempor zézen » Quinta-Feira 29 Janeiro 2009, 00:25

bruxo :risada: :risada: :risada: :content: :content:
a.o.s., foi, é, e serà sempre, um F.D.P.
Avatar do Utilizador
zézen
tem opinião sobre tudo, e sobretudo opinião
tem opinião sobre tudo, e sobretudo opinião
 
Mensagens: 5151
Registado: Sexta-Feira 12 Outubro 2007, 17:10
Localização: Cidade cinzenta

Re: A CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA

Mensagempor zézen » Quinta-Feira 5 Fevereiro 2009, 12:08

A insustentável legalidade de Paulo Portas
[Publicado por AG]

O Vital já aqui evocou a decisão do Tribunal Europeu dos Direitos Humanos a condenar o Estado português por violação da Convenção Europeia de Direitos Humanos. Que vergonha para o país!

Mas o principal responsável por esta vergonha, o ex-ministro da Defesa Paulo Portas, já veio a público defender as "corajosas" ordens que na altura deu à Marinha portuguesa para esta efectuar uma arrojada operação de intercepção ao ameaçador vaso "Borndiep" das forças abortistas, um episódio que cobriu de glória as nossas Forças Armadas.

Justificou-as "com a protecção da legalidade portuguesa vigente à época".

É trágico-cómico ver Paulo Portas arvorar-se em defensor "da legalidade portuguesa".

O que vale é que, graças a ele, para a próxima vez que for preciso pôr cobro a campanhas de informação perigosas e subversivas, a Marinha portuguesa já estará equipada com meios ainda mais poderosos: os dois submarinos que fizeram as delícias do ex-ministro Paulo Portas... (ah, e também os proventos do militante do CDS "Jacinto Leite Capelo Rego"...).
http://causa-nossa.blogspot.com/2009/02/vindicacao.html

*****************************************************************************************************************

Esta Senhora tem Imagem :P
a.o.s., foi, é, e serà sempre, um F.D.P.
Avatar do Utilizador
zézen
tem opinião sobre tudo, e sobretudo opinião
tem opinião sobre tudo, e sobretudo opinião
 
Mensagens: 5151
Registado: Sexta-Feira 12 Outubro 2007, 17:10
Localização: Cidade cinzenta

Re: A CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA

Mensagempor XôZé » Quinta-Feira 5 Fevereiro 2009, 17:38

zézen Escreveu: Esta Senhora tem Imagem :P


Acho que não devia... :whistle:
Imagem
Avatar do Utilizador
XôZé
Mouro
Mouro
 
Mensagens: 5218
Registado: Sexta-Feira 12 Outubro 2007, 02:12

Re: A CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA

Mensagempor nick » Sábado 7 Fevereiro 2009, 09:31

pois, um é submarinos, o outro outlets. É farinha do mesmo saco.

Mas neste caso o tribunal europeu não tem razão. Queria ver se viesse um navio a patrocinar outro tipo de ilegalidades, como por exemplo prostituição pedofila, venda de drogas duras para consumir em alto mar, recepção de resgates de pessoas raptadas em terra. Queria ver se a decisão do tribunal era a mesma.
Ora juridicamente é exactamente a mesma coisa, era uma entidade que pretendia cometer um acto que era um crime sob o ponto de vista da lei portuguesa da epoca. Como tal a decisão devia ser a mesma quer fosse o barco do aborto quer fosse o barco da pedofilia.
nick
Soldado
 
Mensagens: 149
Registado: Quinta-Feira 10 Janeiro 2008, 16:11

Re: A CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA

Mensagempor zézen » Sábado 7 Fevereiro 2009, 09:39

Là estàs tu contra a mulher, o aborto, a eutanàsia, a camisa de vénus, o alverca e Sarilhos de Baixo :whistle:
a.o.s., foi, é, e serà sempre, um F.D.P.
Avatar do Utilizador
zézen
tem opinião sobre tudo, e sobretudo opinião
tem opinião sobre tudo, e sobretudo opinião
 
Mensagens: 5151
Registado: Sexta-Feira 12 Outubro 2007, 17:10
Localização: Cidade cinzenta

Anterior

Voltar para República das Bananas

Quem está ligado:

Utilizadores a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 2 visitantes

cron